Arapongas

HONPAR realiza primeira troca valvar mitral por cateter

Compartilhe no WhatsApp

Procedimento foi realizado pelo SUS pela equipe do cirurgião cardiovascular Arnaldo Okino.

Buscando sempre novas tecnologias para melhor atender os pacientes, o HONPAR – Hospital Norte Paranaense, realizou nesta semana, a primeira cirurgia de troca valvar mitral por cateter pelo SUS – Sistema Único de Saúde.

O procedimento é considerado minimamente invasivo realizado por cateterismo cardíaco onde é realizado o implante de uma prótese valvar no local da valva mitral, frequentemente realizado pela veia femoral, localizada na virilha. Apesar de ser simples, ele é de alta complexidade, portanto, só pode ser feito por profissionais capacitados e em hospitais de referência como o HONPAR, pois conta com todo o suporte e estrutura necessária, como unidade de terapia intensiva capacitada, cirurgia cardíaca e vascular disponíveis, serviço de arritmologia, entre outros.

Através de uma punção venosa, geralmente feita pela virilha e punção transseptal, ou seja, do atrio direito para o esquerdo, onde é colocado o cateter por onde a prótese será levada até o local desejado. O médico cardiologista guia o procedimento através de radioscopia e com auxílio de ecocardiografia. Depois da retirada dos cateteres é realizado apenas um curativo, sem necessidade de pontos na pele.

Este procedimento é indicado quando o paciente possui estenose grave da valva mitral. O cirurgião cardíaco, Arnaldo Okino, responsável pela cirurgia, destaca que é um método muito seguro para os pacientes. Segundo o médico, este método é indicado para pessoas que já se submeteram a uma primeira cirurgia no método convencional.

“Trata-se de uma nova opção terapêutica para trocar próteses cirúrgicas degeneradas em pacientes que já foram submetidos a outras cirurgias e não têm nova recomendação por conta do alto risco. O procedimento é menos invasivo, feito por punção e muito seguro”, destaca o cirurgião.

De acordo com o cirurgião, o procedimento garante mais qualidade de vida para o paciente por ser menos invasivo e ter um menor período de internamento.

“O paciente passa pelo procedimento e já na sala hemodinâmica é estabilizado e encaminhado para UTI para observação e no dia seguinte já recebe alta médica para voltar para casa sem nenhum ponto e com uma recuperação muito mais tranquila que o método tradicional”.

A cirurgia feita no HONPAR pelos médicos: Dr. Arnaldo Okino, Dra. Jaqueline Luvizotto, Dr. Kalil Khalil, Dr. Marco Miguita, e o anestesista dr Guilherme, foi custeada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Para o médico Arnaldo Okino que liderou a cirurgia, isso demonstra a preocupação do hospital em buscar tecnologia e mais qualidade para atender os pacientes.

“O HONPAR sempre é pioneiro em realizar procedimentos cirúrgicos de ponta pelo SUS, mostrando que o hospital busca sempre a melhor forma de atender os pacientes e solucionar seus problemas”, finaliza.

“Agindo Deus, quem impedirá?” Is 43:13

Dia do Trabalhador

Clique para ampliar

Kombucha da Si – Clique Vídeo

JR Martelinho de Ouro

André Quiroga

Festa do Milho

Pedal de São Benedito

Jornal Edição de Notícias

Resumo de Notícias Mensal

× Anuncie no site
%d blogueiros gostam disto: