Geral

Um dia amamentando equivale a 30 minutos de corrida

Compartilhe no WhatsApp

Perder peso depois da gravidez não é uma tarefa muito fácil, mas é importante que a mulher emagreça os quilos que ganhou na gestação nos primeiros seis meses após o nascimento do bebê já que, após esse período, o cérebro começa a entender que aquele é o peso normal dela e, por isso, pode ficar mais difícil voltar ao corpo normal. No entanto, para emagrecer, ela não deve fazer dietas restritivas e deve se alimentar bem, ingerir fibras e muita água.
Como explica o ginecologista José Bento, o ideal é que a mulher ganhe de 9 a 11 kg durante a gestação – desses, ela já consegue perder 6 kg só na maternidade. O restante do peso pode ser eliminado durante a amamentação, que também queima calorias – um dia amamentando, por exemplo, equivale a 30 minutos de corrida. Em relação à atividade física, após 10 dias do parto, a mãe já pode começar a fazer caminhada leve.

Outras atividades, como a musculação, só devem ser retomadas cerca de um mês após o parto, mas sempre com consentimento do médico.
Caso a gestante não consiga controlar o peso e engorde muito, ela pode ter um estiramento de pele muito grande na barriga e, nesse caso, muitas vezes os exercícios não são suficientes para resolver – em caso de pele muito flácida, tratamentos estéticos ou cirurgias plásticas são as opções indicadas para melhorar a aparência.
O peso adquirido na gravidez interfere também no tamanho dos seios. É normal que eles fiquem mais volumosos durante a gestação e amamentação, mas quando o bebê deixa de mamar, os ligamentos responsáveis pela sustentação das mamas não voltam mais ao que eram antes e, por isso, os seios ficam caídos. Há ainda a possibilidade de o tecido mamário diminuir e o seio ficar menor do que era, mas tudo isso vai depender do peso que a gestante ganhar.
Outra parte do corpo que pode ser afetada após a gravidez é o assoalho pélvico e o períneo e, para fortalecê-los, existem alguns exercícios como explicou a fisioterapeuta Débora Pádua. Segundo a especialista, para saber como movimentar a musculatura do períneo, é preciso experimentar segurar a vontade de fazer xixi – mas isso só funciona para descobrir como fazer a contração; os exercícios jamais devem ser feitos durante o xixi porque podem prejudicar a bexiga. Há ainda a opção de usar cones vaginais, que são colocados como absorventes internos. Com eles, a mulher pode fazer exercícios e contrações da musculatura, como mostrou a fisioterapeuta.
Hora do parto

Nos dias que antecedem o nascimento do bebê, o corpo da mulher começa a dar sinais.

De acordo com o ginecologista José Bento, o intestino passa a funcionar melhor, a barriga fica menor e sai um líquido mucoso da vagina.

No entanto, quando a bolsa estoura, cai um líquido equivalente a meio copo de água geralmente na cor transparente – se estiver esverdeado ou amarelado, é preciso correr ao hospital porque isso pode ser um sinal de alerta.
Segundo o médico, as contrações do útero começam já no sétimo mês de gestação, mas no nono mês elas aumentam e vem acompanhadas de uma dor que sai da região lombar e vai para a região pélvica.
Se o intervalo dessas contrações for de menos de um minuto, é preciso ir ao hospital. Nesse momento, é bom ter a mala pronta para já se preparar para a hora de ir para a maternidade, como recomendou o ginecologista
“Posso engravidar durante a amamentação?”
Segundo o ginecologista José Bento, pode ser mais difícil ficar grávida nesse período, mas é possível. Durante a amamentação, pode ocorrer queda de libido, por causa do aumento do hormônio prolactina e da queda de testosterona.
Essas alterações hormonais atrofiam o músculo da vagina, o que causa dor e incômodo durante a relação – para evitar, a dica é usar lubrificante.
Além disso, a falta de sono e o cansaço durante esse período também podem reduzir a vontade da mulher de fazer sexo. De qualquer maneira, o ideal é que ela volte a ter relações apenas 40 dias após o nascimento do bebê.
“Meus mamilos estão rachados, com fissuras e já chegaram a sangrar. Estou preocupada porque minha filha, de 2 meses, mamou sangue junto com o leite materno. O que pode acontecer?”

As fissuras mamárias dificultam a amamentação, além de causar muita dor e assustar a mãe. Se o leite sai com sangue, ele pode irritar o estômago do bebê e se ele vomitar, pode sair um leite coalhado com sangue. Ao notar sangue no leite, portanto, é preciso avisar o pediatra. De qualquer maneira, a dica do ginecologista José Bento e preparar os mamilos durante a gravidez para evitar esses problemas.

“Meu filho mama durante o dia, de 4 em 4 horas, e durante a noite, de 2 em 2 horas. Gostaria que fosse o contrário. Tem alguma coisa que eu possa fazer?”

Segundo o ginecologista José Bento, é possível reverter isso. A mãe precisa deixar o quarto bem escuro e sem barulho à noite para que o bebê entenda que é hora de dormir. Em alguns momentos, mesmo que ele chore querendo mamar, ela não deve sair correndo para amamentá-lo. Pela manhã, é importante abrir a cortina e deixar o ambiente bem iluminado.
“Estou amamentando e gostaria de saber se o chocolate e o feijão causam mais cólicas no bebê.”

Não existe comprovação científica de que chocolate, feijão e outras leguminosas causam mais gases no bebê. Segundo a ginecologista e obstetra Poliani Prizmic, é importante que a mãe observe no pós amamentação se em determinados alimentos, com o consumo deles, a criança tem cólica. Se tiver, ela pode tentar evitar esses alimentos para diminuir a quantidade de gases produzidos.

Molicenter – Ofertas até 29/09

Molicenter – Ofertas – 20/09

Farmácia São Lucas

Instituto Quarks

Rádio Gospel Hits

Moto Culto

Solução Informática e Tecnologia

Zé da Balada

Jornal Edição de Notícias