Arapongas

Pórtico na entrada da Colônia Esperança é restaurado

Compartilhe no WhatsApp

A Prefeitura de Arapongas, por meio da Secretaria Municipal de Obras, Transporte e Desenvolvimento Urbano (Seodur) está restaurando o pórtico de acesso à Colônia Esperança. Nesta semana, as equipes instalaram uma armação de ferro – para melhor sustentação, e em seguida, farão a colocação do concreto. Nas próximas etapas serão feitas novas pinturas e demais reparos. Segundo o vice-prefeito e secretário de Obras, Jair Milani, o serviço atende uma demanda dos moradores da região. “ Nós havíamos restaurado o pórtico em 2019. Contudo, com o passar do tempo, a estrutura precisa de um novo reparo. Segundo os moradores da região, a passagem de veículos pesados naquela localidade afetou parte de sua estrutura. Estamos reforçando-a, preservando a história dessa comunidade pioneira e tão querida e importante para Arapongas”, disse Milani. A previsão é de que os serviços sejam finalizados em 15 dias. O início da restauração foi acompanhado também pelo vereador, Major Arduim.

MAIS MELHORIAS

Recentemente, a Seodur realizou melhorias, através de serviços com a aplicação de base de cascalho; colocação de material fresado e finalizado com rolo compactador, em trecho entre a entrada da Estrada da Colônia Esperança até o distrito de Aricanduva.

O local recebeu também a instalação de postes – em trecho de aproximadamente 2 km. Na última semana, equipes deram continuidade nas instalações de postes e fiação. Na etapa seguinte, a nova iluminação de Led será instalada. “ São 60 braços de iluminação. Favorecendo a segurança e mobilidade urbana. Os serviços somam com a qualidade de vida dos moradores da região. Estamos aqui para isso”, finalizou Milani.

VOCÊ SABIA?

A Colônia Esperança foi fundada em 1935 pelas primeiras famílias japonesas católicas que trocaram as terras inférteis da cidade de Promissão, no interior de São Paulo, pelos lotes que a Companhia de Terras do Norte do Paraná estava abrindo aqui na região. Era usual a Companhia negociar algumas terras com comunidades específicas, de forma que pessoas da mesma etnia, religião ou país pudessem desenvolver suas propriedades. No caso do lote onde se formou a Colônia Esperança, a Companhia destinou mil alqueires para que a colônia nipo-católica que não conseguia prosperar em Promissão, onde a terra era mais pobre, viesse para Arapongas. Inicialmente, chegaram 50 famílias, estabelecendo-se numa área de 600 alqueires. Em terras mais férteis, elas não só ajudaram a plantar e a cultivar o progresso do município, como também cultivaram sua religião e a tradição japonesa.

“Agindo Deus, quem impedirá?” Is 43:13

Aravel

JR Martelinho de Ouro

Atom Academia

Jornal Edição de Notícias

× Anuncie no site
%d blogueiros gostam disto: