Arapongas

Patrulha Maria da Penha leva plantão de atendimentos integrados no Distrito de Aricanduva

Compartilhe no WhatsApp

A Guarda Municipal de Arapongas (GMA), através da Patrulha Maria Da Penha – serviço integrado com a Polícia Militar (7ª CIPM), realizou no último domingo, 21, um novo plantão de atendimentos especializados no distrito de Aricanduva. A prestação de serviço aconteceu no Módulo Policial Integrado, situado na Rua Caiapó, s/n. A coordenadora da Patrulha Maria da Penha, GM Michele Zanin, explicou que as ações foram voltadas ao público em geral, mas com objetivo de orientar principalmente as mulheres sobre o combate à violência doméstica. “Nesta oportunidade, a equipe da Patrulha Maria da Penha ficou à disposição da comunidade das 9h às 17h, para orientações sobre como solicitar medida protetiva, orientações quanto aos procedimentos que podem ser tomados em situações de violência doméstica, confecção de boletins de ocorrência e orientações de como proceder para buscar ajuda e auxílio para o rompimento do ciclo de violência”, disse Zanin. Ela ainda acrescentou que a proposta é aproximar cada vez mais a população dos serviços em segurança pública. 

Canais para denúncias – Arapongas conta com canais específicos para as denúncias em casos de violência doméstica. São eles:
– Delegacia da Mulher de Arapongas (R. Beija Flor, 273 – Centro):
Telefone: 3278-2209 – Esse número serve para o envio de WhatsApp.
– Polícia Militar:
Disque 190 – Nos casos em que não houver medida protetiva.
– Guarda Municipal:
Disque 153 ou 0800-645-9060 – Nos casos em que houver medida protetiva.
–  Ramais diretos: 180 e 181.

A equipe Patrulha Maria da Penha atende a população todos os dias – das 07h às 19h, com sede na Delegacia da Mulher – Rua Beija-flor nº 273 – Centro. 

Você sabia?
A Patrulha Maria da Penha exerce o papel de monitoramento preventivo e periódico das mulheres que possuem medidas protetivas de urgência expedia pelas Varas Criminais de Arapongas, conforme a legislação nº 11.340/2006 – Lei Maria Da Penha. Formas de violência contra a mulher: física (através de agressões), psicológica (por meio de ameaças e chantagens), sexual (quando agressor insiste em relações sexuais sem consentimento), patrimonial (quando agressor esconde, danifica ou faz a retenção de pertences da vítima) e moral (quando o agressor se utiliza de xingamentos e ofende a moral da vítima).

 

“Agindo Deus, quem impedirá?” Is 43:13

Clique para ampliar

Kombucha da Si – Clique Vídeo

JR Martelinho de Ouro

André Quiroga

Clique para ouvir

Noite de Queijos e Vinhos

Jornal Edição de Notícias

Resumo de Notícias Mensal

× Anuncie no site
%d blogueiros gostam disto: