Notícias Geral

Com avanço da vacinação, PR começa criar escudo contra covid

Compartilhe no WhatsApp

Quando a primeira paranaense recebeu a aplicação da dose número um da vacina contra a Covid-19, no dia 18 de janeiro deste ano, uma onda de esperança tomou conta da população, que há meses estava assustada com a força devastadora do vírus Sars-CoV-2. Mas, diante de uma realidade brutal, com o adoecimento diário de milhares de pessoas, era inevitável se questionar sobre o futuro: afinal, será que a vacinação controlaria a evolução do vírus?
Isso dependeria da capacidade das vacinas de acompanhar as variantes e também da duração da imunidade. Ou seja, a resposta é: sim. Com a vacina, fatalmente o Paraná alcançaria o fim da fase aguda da pandemia, e agora, com mais de 60% do público vacinável imunizado com ao menos uma dose e 20% completamente protegido, a eficácia coletiva está melhorando ainda mais.

É o que afirma o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, em entrevista concedida para a Agência Estadual de Notícias. Nesta conversa, ele se mostra esperançoso ao observar os primeiros efeitos positivos da vacinação contra a Covid-19 no Paraná. Segundo ele, passados seis meses, não apenas é possível garantir que as vacinas – avaliadas e reavaliadas por cientistas – são seguras e eficazes, mas também constatar que. independente da tecnologia utilizada, a aplicação em larga escala dos imunizantes permite avanços importantes na contenção da pandemia no Estado.

“Agindo Deus, quem impedirá?” Is 43:13

Clique na Imagem p/Ampliar

Aravel

JR Martelinho de Ouro

Atom Academia

Jornal Edição de Notícias

× Anuncie no site
%d blogueiros gostam disto: