Ocorrência Policial

Bicicletas motorizadas entram na mira da PM; veja irregularidades

Compartilhe no WhatsApp

As bicicletas motorizadas vêm ganhando popularidade por conta das vantagens em relação aos modelos tradicionais. Em Apucarana, onde o relevo é acidentado, o veículo é uma alternativa para enfrentar os aclives na hora de trabalhar ou estudar. Com o crescimento deste tipo de transporte, no entanto, muitas irregularidades começaram a ser flagradas. Por isso, a Polícia Militar (PM) está intensificando a fiscalização em Apucarana.

Seis bicicletas motorizadas já fora apreendidas apenas em 2024. A PM afirma que esses veículos irregulares vêm se tornando um problema no trânsito. A PM admite que há muita desinformação sobre o uso desses bikes e, por isso, orienta a população na hora de investir nesses modelos. 

Existem dois tipos de bicicletas motorizadas: as elétricas e as de combustão, sendo que apenas as últimas são consideradas ilegais. Conforme o tenente do 10º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Apucarana, Andrey Shevchuk, abordagens frequentes realizadas pela polícia vêm acontecendo para acabar com a circulação dessas bicicletas. “Temos uma distinção entre os tipos de veículos automotores. Especificamente temos bicicletas elétricas, que não são essas que temos apreendido. A bicicleta elétrica é uma bicicleta tradicional, mas tem um motor elétrico que só funciona com a pedalada, então ela tem uma pedalada assistida, não tem acelerador: é uma bicicleta a que as regras de bicicletas se aplicam”, explica o oficial.

A bicicleta motorizada à combustão é popular pelo custo-benefício. Geralmente, os modelos mais populares usam gasolina. Um tanque cheio pode chegar a durar 150 quilômetros. Kits de motor à combustão para transformar uma bicicleta convencional em uma motorizada são facilmente encontrados em sites de vendas pela internet.

Conforme o tenente, a legislação determina o uso de capacete para trafegar com essas bicicletas, devido à velocidade que atingem. Muitos modelos chegam a 80 cilindradas. Além disso, a pessoa precisa possuir uma carteira de habilitação para guiá-la e o veículo. O barulho excessivo que ela faz, já que não existe nenhum tipo de silenciador, também é considerado uma irregularidade.

A bicicleta motorizada que as pessoas têm improvisado, pegando uma bicicleta e comprando um kit para instalá-lo, é ilegal em todos os aspectos. Ela possui acelerador e, devido ao motor de 80 cilindradas que possui, é considerada como uma motocicleta em todos os aspectos. Portanto, é necessário cumprir todas as exigências aplicáveis a uma motocicleta, incluindo o uso de capacete de segurança e a obtenção da categoria A para guiá-la. Ela não possui número de chassi, tornando impossível o registro deste veículo. Assim, qualquer pessoa que faça essa alteração está irregular e, se abordada e apreendida pela polícia, a bicicleta nunca mais será liberada, pois não há possibilidade de regularização neste caso,” alertou o policial.

O tenente explicou que as bicicletas motorizadas elétricas se classificam como veículos ciclomotores. O ciclomotor possui no máximo 4.000w ou 50 cilindradas e alcança no máximo 50 km/h. Eles são permitidos, possuindo acelerador, velocidade e potência máximas, além de necessitarem de registro e emplacamento junto ao Detran, bem como de um capacete da Autorização para Conduzir Ciclomotor (ACC), sendo legalizados.

“Há possibilidade, no futuro, de a bicicleta motorizada ser regularizada, mas não nas condições que são hoje. Mas é difícil lutar contra isso, acho que em algum momento o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), os órgãos de trânsito, vão achar um jeito regularizar como o ciclomotor, porque facilita o dia a dia na cidade para conduzir, mas hoje é irregular. A gente vê muitos menores de idade pilotando e recomendamos que os pais não autorizem. Se a polícia pegar o veículo será apreendido,” reforça Andrey Shevchuk.

Com a ampliação da fiscalização, seis veículos foram apreendidos neste ano. Entre 2022 e 2023, as apreensões cresceram 150%, passando de 6 veículos apreendidos para 15 retirados de circulação no ano passado.

ENTENDA A DIFERENÇA

As bicicletas motorizadas são equipadas com um motor de combustão interna. Geralmente os modelos mais populares usam gasolina. Um tanque cheio pode chegar a durar aproximadamente 150 quilômetros. Comparada com bicicletas convencionais ou mesmo as elétricas, elas conseguem atingir altas velocidades. Há modelos que chegam a 80 cilindradas, por exemplo.

As bicicletas elétricas são impulsionadas por um motor elétrico, sendo alimentadas por meio de baterias recarregáveis. O motor faz com que elas ofereçam uma assistência durante a pedalada, auxiliando o ciclista enquanto ele pedala. Comparada com a bicicleta motorizada, a bicicleta elétrica possui uma manutenção mais simples. Normalmente ela é mais voltada para a saúde da bateria e dos componentes elétricos.

O quantitativo de bicicletas motorizadas recolhidas pelo 10º BPM:

  • 2020 – 05
  • 2021 – 20
  • 2022 – 06
  • 2023 – 15
  • 2024 – 06

Informações: TNOnline / Foto: Lis Kato

“Agindo Deus, quem impedirá?” Is 43:13

Dia do Trabalhador

Clique para ampliar

Kombucha da Si – Clique Vídeo

JR Martelinho de Ouro

André Quiroga

Festa do Milho

Pedal de São Benedito

Jornal Edição de Notícias

Resumo de Notícias Mensal

× Anuncie no site
%d blogueiros gostam disto: