Apucarana

Apucaranenses presos aguardam decisão do ministro Alexandre de Moraes

Compartilhe no WhatsApp

Os 12 apucaranenses presos em Brasília por participação nos atos golpistas de 8 de janeiro representados pelo advogado Luiz Fernando Vilasboas ainda não tiveram seus casos analisados pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Moraes começou nesta quarta-feira (18) a analisar atas de 1.459 audiências de custódia de presos em flagrante por participação nos atos golpistas de 8 de janeiro.

O ministro, relator do inquérito dos atos democráticos, no qual os processos tramitam, já proferiu 200 decisões – com a conversão de 140 prisões em flagrante em preventivas. Nas 60 restantes, os investigados foram liberados, mas terão de cumprir uma série de medidas cautelares, entre elas a colocação de tornozeleira eletrônica e a proibição de uso de redes sociais.

Também foi decretada o cancelamento de passaportes e a suspensão do porte de arma e de “certificados de registro para realizar atividades de colecionamento de armas de fogo, tiro desportivo e caça”.

O advogado apucaranense, que representa 70 pessoas de vários estados (35 do Paraná, sendo 12 de Apucarana, 3 de Arapongas e 2 de Faxinal), mostra otimismo na liberação dos seus clientes. Segundo ele, a situação dos apucaranenses é semelhante daqueles que tiveram a liberdade concedida. “Aqueles que foram libertados seguiram o mesmo padrão que o nosso:  os custodiados preenchiam os requisitos objetivos previstos no código de processo penal: residência fixa, bons antecedentes e emprego lícito”, disse. 

Vilasboas representa 12 apucaranenses. No entanto, mais moradores da cidade estão presos em Brasília. O número não é conhecido, mas pode chegar até a 40, segundo estimativas do próprio advogado. 

PREVENTIVAS

O ministro viu “flagrante afronta à manutenção do estado democrático de direito, em evidente descompasso com a garantia da liberdade de expressão”. Destacou, ainda, a necessidade de apurar o financiamento dos atos.A análise de todos os casos deve ser concluída até sexta-feira, dia 20. Até lá, o STF divulgará diariamente balanços das decisões tomadas a respeito de todos os investigados.

Informações: TNOnline

“Agindo Deus, quem impedirá?” Is 43:13

Curso de Massoterapia

Cuidar da Saúde

Kombucha da Si – Clique Vídeo

JR Martelinho de Ouro

Vaga de Emprego

Jornal Edição de Notícias

× Anuncie no site
%d blogueiros gostam disto: