Apucarana

Apucarana está entre as 10 melhores cidades do mundo premiadas por práticas inovadoras na educação básica

Compartilhe no WhatsApp

Apucarana acaba de ser reconhecida internacionalmente por implantar o ensino da Língua Brasileira de Sinais (Libras) no currículo das 36 escolas da rede municipal de educação. O prefeito Junior da Femac e a secretária Marli Fernandes receberam prêmio da Associação Internacional de Cidades Educadoras (AICE), nesta sexta-feira (24), durante o XVII Congresso Internacional de Cidades Educadoras, realizado nesta semana em Curitiba.

O Prêmio “Cidades Educadoras para boas práticas de Educação” é promovido anualmente pela Associação Internacional de Cidades Educadoras (AICE), com sede em Barcelona (Espanha), a fim de dar visibilidade a projetos inovadores, desenvolvidos por cidades educadoras, que possam servir de exemplo para outros municípios.

“Nesta edição, o concurso recebeu a inscrição de 66 projetos, provenientes de 55 cidades e de 11 países. Os dez finalistas foram eleitos por um uma banca examinadora formada por cinco especialistas renomados, de Portugal, Holanda, França e Espanha. Figurar neste seleto grupo reafirma que Apucarana está no caminho certo ao investir na formação humana e cidadã da sua população,” comentou o prefeito Junior da Femac.

A secretária de educação Marli Fernandes detalhou o desenvolvimento do projeto Apucarana, cidade que inclui, acolhe e abraça. “Por meio dele, nós implantamos a disciplina de Libras no currículo das nossas 36 escolas municipais, contemplando tanto os estudantes surdos como os ouvintes, das turmas de 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental. Além disso, nós ofertamos regularmente cursos gratuitos de Libras, nos níveis básico, intermediário e avançado, aos nossos professores e à comunidade em geral,” disse.

“O projeto de Libras começou com a formação dos professores da rede municipal de educação, por meio de parceria com a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), com o objetivo de incluir o aluno surdo em todos os espaços de convivência. Hoje, enquanto componente curricular, celebramos o sucesso da ação, desenvolvida com todos os alunos do 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental,” acrescentou a diretora do Centro de Apoio Multiprofissional ao Escolar (CAME), da Autarquia Municipal de Educação, Léia Sofia Viale. Atualmente, a coordenação do projeto de Libras é feita pela professora Patrícia de Jesus.

Leandra Gomes Corrêa, mãe do estudante surdo e implantado Willian Corrêa, matriculado na turma de Infantil II, do CMEI Olívio Fernandes, fala sobre a importância do projeto de Libras desenvolvido na rede municipal de Apucarana. “Eu sou mãe de um menino que tem 2 anos e 10 meses. Nós descobrimos que ele não podia ouvir por meio do teste da orelhinha, feito quando meu bebê tinha apenas nove dias de vida. Aliás, esse exame é muito importante. Desde a descoberta, comecei a correr atrás de médicos especialistas e de recursos para promover o bem-estar do meu filho. Hoje, ele tem implante coclear. Meu menino está matriculado no CMEI Olívio Fernandes e frequenta uma sala de recursos na Escola Braga Côrtes, onde está aprendendo a se expressar e comunicar. Além disso, eu também estou participando do curso de Libras ofertado pela Autarquia de Educação para poder me comunicar melhor com meu filho,” destacou.

Em decorrência da sua originalidade e ambição, o projeto apucaranense passou a fazer parte da galeria de Experiências Destacadas no site da Associação Internacional de Cidades Educadoras (https://bidce.org/es/experiencia/634). “Gestores de todo o mundo poderão consultar o documento, disponível nas versões em inglês, espanhol e francês, e replicar o nosso projeto nas suas próprias comunidades. Isso é fantástico!”, pontuou o prefeito Junior da Femac, que comemorou com entusiasmo mais uma conquista da educação de Apucarana, agora em âmbito internacional.

Além do projeto premiado, a secretária Marli Fernandes também apresentou a experiência “Consciência ambiental e saúde pública na educação municipal de Apucarana” em uma das sessões do XVII Congresso Internacional de Cidades Educadoras. “O nosso currículo prevê que as crianças sejam estimuladas a ter contato com a natureza e a desenvolver hábitos saudáveis. Neste sentido, nós implantamos jardins sensoriais e hortas nos 24 CMEIS e 36 Escolas da nossa rede, por meio dos quais os estudantes têm a oportunidade de aprender sobre jardinagem e alimentação saudável. Conforme a faixa etária, eles também são ensinados a separar o lixo, a dar destino correto aos materiais recicláveis, a fazer a compostagem dos orgânicos e a prevenir doenças como a dengue e outras arboviroses,” acrescentou.

O XVII Congresso Internacional de Cidades Educadoras foi realizado de 21 a 24 de maio em Curitiba. Representantes de 129 cidades de 13 países participaram do evento e refletiram sobre o tema “Sustentabilidade, Inovação e Inclusão na Cidade Educadora: Transformando o Presente.”

Além de Apucarana, figuraram entre os dez finalistas do prêmio “Cidades Educadoras para boas práticas de Educação”: Buenos Aires (Argentina), Manresa (Espanha), Playa del Carmen (México), Porto (Portugal), Raul Soares (Minas Gerais), Sant Boi de Llobregat (Espanha), Santo André (Brasil), Odivelas (Portugal) e Cidade do México (México).

Pref. de Apucarana

“Agindo Deus, quem impedirá?” Is 43:13

Clique para ampliar

Kombucha da Si – Clique Vídeo

JR Martelinho de Ouro

André Quiroga

Clique para ouvir

Noite de Queijos e Vinhos

Jornal Edição de Notícias

Resumo de Notícias Mensal

× Anuncie no site
%d blogueiros gostam disto: