Apucarana

Apucarana retoma estacionamento rotativo em dez dias na área central

rota

A Prefeitura de Apucarana deve retomar o estacionamento rotativo em 10 dias. O serviço, que agora será municipalizado, deve passar primeiro por um período de adaptação do novo sistema. Em um primeiro momento, a Prefeitura irá disponibilizar dois pontos de vendas dos cartões, que já estão prontos. Motoristas pagarão R$ 1,60 pela hora de estacionamento.

De acordo com o prefeito Beto Preto (PSD), o rotativo entrará em funcionamento em 10 dias. “A população de Apucarana pode ficar tranquila, porque o sistema não será implantado de uma hora para outra. Nos primeiros 30 dias, haverá um empenho na orientação dos motoristas, sem notificações, para que as pessoas possam se readaptar e comprar seus talões”, afirma.

Nesse período, será inaugurado o novo escritório do estacionamento rotativo, onde as futuras notificações poderão ser pagas e os talões serão vendidos. Outros dois pontos de venda já estão definidos: um deles será em um quiosque na Praça Interventor Manoel Ribas, a Praça do Redondo; o outro ficará junto ao posto de orientações turísticas, no Calçadão Valmor Giavarina (Cascata), ao lado da Praça Rui Barbosa.

De acordo com o superintendente do Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan), Carlos Mendes, novos pontos de venda serão implantados em breve. “Faremos um chamamento público para que empresas dentro da área do rotativo sejam credenciadas para fazer a venda dos talões. Elas receberão uma porcentagem do valor dos talões vendidos”, diz.

Com a reimplantação do rotativo, o tempo limite para manter um veículo na vaga volta a ser de duas horas. O custo da hora de estacionamento será de R$ 1,60. O novo valor é R$ 0,20 acima do praticado anteriormente pela Explora Parking, empresa que teve o contrato finalizado em dezembro último. Cartões de meia hora também serão vendidos, ao custo de R$ 0,80.

O estacionamento rotativo foi instalado em Apucarana com a contratação da empresa Lapaza Empreendimentos, de Ibiporã, em 2006. Após a suspensão do contrato em 2014, o serviço foi assumido emergencialmente pela empresa Explora Parking, de Brasília. O contrato inicial, com período de vigência de seis meses, foi sendo renovado semestralmente até dezembro do ano passado, quando a Prefeitura resolveu municipalizar o serviço. Desde então, o rotativo segue interrompido, o que vem gerando muitas filas de carros e dificuldade em encontrar vagas.

O projeto de lei que regulamenta o rotativo já foi aprovado em segunda votação pelo Legislativo municipal.
A Prefeitura elabora agora um concurso para a contratação de agentes de trânsito, que ficarão incumbidos de fiscalizar e aplicar as multas do serviço. A administração municipal ainda não tem prazo para publicar o edital do concurso.

Fonte: Jornal Tribuna do Norte – Matéria: Renan Vallin

Solução Informática