Ocorrência Policial

Mulheres de presos protestam em frente à cadeia de Arapongas

tn_33c91d40cf_cadeiadearapongas1

Um grupo de mulheres de presos da cadeia Pública de Arapongas realizaram um protesto em frente à 22ª Subdivisão Policial, na Rua Tucanos, área central da cidade.

Elas estão no local reclamando da superlotação, más condições de higiene e estruturais. A rua precisou ser interditada. As mulheres afirmam ainda que os detentos estariam sendo agredidos no interior do setor de custódia cautelar. A Polícia Militar (PM) reforçou a segurança no local.

Medidas disciplinares
Os presos, que provocaram tumulto no interior da cadeiaenquanto as mulheres protestavam do lado de fora, estariam revoltados também com algumas medidas disciplinares.

Superlotação
Com capacidade para 38 detentos, a Cadeia Pública de Arapongas tem hoje mais 200 pessoas presas no local.

Pedido de interdição
O Núcleo da Cidadania e Direitos Humanos (NUCIDH) da Defensoria Pública do Paraná e a Defensoria Pública em Maringá protocolaram na Vara da Fazenda Pública de Arapongas uma ação civil que pede a interdição da Cadeia Pública de Arapongas, na região norte do Estado.

Péssima condições
Durante vistoria conjunta com o Ministério Público Estadual, realizada, constatou-se a superlotação da unidade, além das péssimas condições estruturais do local.