Editorial

Editorial Edição 254 – Rio 2016 e a imprensa mundial

rio

As Olimpíadas do Rio de Janeiro estiveram no foco do noticiário mundial durante as últimas semanas, com a imprensa mostrando tudo do que ocorreu por aqui. Após o encerramento dos jogos, o jornal The New York Times, por exemplo, destacou que, apesar dos receios generalizados de que a cidade estaria despreparada, ou que a criminalidade e a desorganização poderiam transformar os Jogos Olímpicos em um constrangimento nacional, muitos brasileiros passaram a ver os jogos como “um triunfo e uma distração necessários” para fugir dos problemas econômicos e da agitação política.

O mesmo artigo assinala que, nos dias após a cerimônia de abertura, as críticas de que os jogos significaram o uso inadequado de dinheiro público, em um momento de crise financeira do País, ficaram relegadas a segundo plano em decorrência de um sentimento comum de que o Brasil conseguiu superar os desafios logísticos, proporcionando ao maior evento esportivo do mundo a presença de meio milhão de visitantes, que assistiram aos primeiros Jogos Olímpicos da América do Sul.

Já o jornal Los Angeles Times lembrou que, durante os jogos, houve relatos de crimes nas ruas, de gafes logísticas e falhas nas sedes das competições, fatos que sugerem que o Brasil não estava completamente pronto para o evento. No entanto, o artigo, relativiza esses problemas, afirmando que são adversidades que estão no contexto de um grande evento, realizado na América do Sul pela primeira vez. O que vale, de acordo com o autor, é que o Rio estava determinado a ser “a cidade do acolhimento”. A revista Time observou que, em um evento que reúne mais de 11
mil atletas de 206 países, como os Jogos Rio 2016, é normal esperar grandes coisas. A revista afirma, porém, que os Jogos Rio 2016 apresentaram recordes esportivos, estreias inacreditáveis e momentos surpreendentes, mesmo para um evento dessa dimensão. A verdade e o importante é que a imprensa mundial destacou a organização dos jogos, o calor e a amizade do povo brasileiro, os resultados e recordes alcançados, em uma demonstração de
que a mídia do país mudou sua percepção em relação ao evento, pois antes dos jogos, o noticiário era dominado por previsões pessimistas, indicando que a competição poderia se transformar em um grande fiasco.