Arapongas Geral

Sabáudia decreta situação de emergência

sabaudia

O município de Sabáudia decretou situação de emergência nas áreas afetadas pelas fortes chuvas ocorridas no dia 11 de Janeiro. Zona rural foi a mais atingida causando prejuízos materiais e ambientais. O prefeito de Sabáudia, Edson Hugo Manueira, juntamente com os membro da Defesa Civil Municipal e os Secretários de Obras, Serviços Urbanos e Agricultura e Ação Social, Sebastião Dalcin Rosa, Mauro Castilho e Antonio Romano, estão desde a segunda-feira, dia 11, acompanhando de perto e buscando medidas para amenizar a situação das famílias afetadas pelas chuvas que causaram bastante estragos em toda a região ocorridas por força maior em decorrência das forças da natureza. “Os órgãos municipais estão mobilizados para a reconstrução dos locais que sofreram o desastre”, garantiu Hugo.

 
Segundo dados coletados pela Cocamar foram registrados, somente no dia 11, 330 milímetros de chuva, em 24 horas ininterruptas. O acumulado, segundo a informação, o acumulado, em cinco dias de chuva, ultrapassou os 500 milímetros. O volume de água pluvial causou danos materiais e ambientais, ocorrendo prejuízos para o poder público e para a população.
 
O prefeito informou que a Secretaria de Ação Social está mobilizada prestando assistência à população prejudicada. Ele ressaltou ainda que toda a comunidade está colaborando com doações de alimentos, roupas, calçados e outros itens de necessidades básicas. “Neste momento, estamos buscando medidas para atender primeiramente os locais e as famílias que estão sem água potável e sem energia elétrica, além de buscar caminhos alternativos nas estradas rurais para os moradores que ficaram sem as pontes “. O prefeito lembrou que residências na área urbana e empresas também foram afetadas com rachaduras nas paredes e muros. Segundo afirmou, o departamento de Engenharia está dando o suporte necessário para detectar os possíveis riscos e danos.
 
Um laudo da Secretaria Municipal de Agricultura constatou que entre os danos ocorridos na área agrícola, 11 pontes foram totalmente destruídas, além da perda de lavoura a morte de animais. Cerca de 40 produtores da região do bairro Pirapó foram afetados e cerca de 50 quilômetros de estradas rurais cascalhadas deverão ser refeitas.
 
Hugo afirmou que serão solicitados recursos junto ao governo Federal e governo Estadual para suprir os prejuízos ocorridos no município.