Apucarana

Apucarana renova sistema de superpostes

ilumina-o-edson-denobi

Presentes geralmente em parques, praças e trevos, os conhecidos superpostes fazem parte do sistema de iluminação pública das cidades. Em Apucarana, um trabalho planejado desde o início do mandato e realizado nos últimos meses pela administração municipal vem renovando esses equipamentos em diversos bairros e distritos.

Balanço divulgado pelo Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento da Prefeitura de Apucarana (Idepplan), revela que 10 locais já receberam os serviços, que consistem na substituição de todas as luminárias, lâmpadas e reatores. “Assim que o mandato iniciou o prefeito Beto Preto determinou um levantamento, estudo de viabilidade e orçamento de todo o investimento necessário. Foi um trabalho minucioso que agora estamos tendo a oportunidade de executar, dentro da política de recuperação, ampliação e melhoria da iluminação pública em toda Apucarana”, explicou o engenheiro eletricista Lafayete dos Santos Luz, superintendente do Idepplan.

Estas melhorias, segundo o prefeito Beto Preto, estão inclusas no pacote de R$ 4,6 milhões de investimentos na modernização do sistema de iluminação pública de Apucarana. “Reitero que os serviços previstos se comparam aos pontos de luz de uma cidade de 40 mil habitantes, e tenham certeza de que a luminosidade e a segurança irão melhorar significativamente”, comenta o prefeito.

O investimento com os superpostes, até o momento, foi de cerca de R$100 mil, com recursos do caixa próprio do município. Os locais já atendidos são os equipamentos localizados nas praças do Núcleo Habitacional Castelo Branco, da UBS da Vila Nova, da Cavan, do Bairro Igrejinha, do Cemitério Cristo Rei (Cemitério Novo), da Igreja Cristo Rei (Jardim Diamantina), e das praças dos distritos de Pirapó, Correia de Freitas e Caixa de São Pedro, além do superposte do trevo de acesso ao Pirapó. “Todos os pontos, com exceção do trevo do Pirapó, que ganhou lâmpadas de vapor de sódio com potência de 400 watts, receberam lâmpadas de vapor metálico, também com potência de 400 watts”, informou o superintendente.

Segundo ele, apesar de terem sido instalados há mais de 40 anos, alguns dos superpostes nunca haviam passado por manutenção. “Isso não tem cabimento. O prazo máximo de vida útil seria de 15 anos. Uma boa iluminação depende de capacidade refletiva e difusora da luz, condição que no caso dos superpostes se extingue em até 15 anos, se tudo correr bem. Passou disto, os componentes oxidam, envelhecem e o sistema ao invés de difundir acaba barrando a propagação da luz”, explicou Lafayete. Ele citou os superpostes do Núcleo Castelo Branco, Igrejinha, Correia de Freitas, trevo do Pirapó, Caixa de São Pedro e Cemitério Cristo Rei como exemplos de locais que nunca receberam manutenção. “Nos demais locais, posso dizer que há pelo menos 25 anos isso não existiu”, disse.

O cronograma de trabalho prevê a renovação do sistema de outros superpostes. “Estamos concluindo o Distrito de Caixa de São Pedro e já temos em foco outros locais. É muito gratificante ver a resposta da comunidade, que tem ficado muito contente e encantada com a transformação positiva nestes locais. A diferença do sistema antigo é muito grande. Sem contar que uma boa iluminação resulta ainda em mais segurança, valorização dos imóveis e da cidade como um todo”, concluiu Lafayete.