Claudio Natalino Bagnolli

Saiba o que define a qualidade de uma imagem

Compartilhe no WhatsApp

Além das tecnologias de telas como o LCD-LED ou OLED, a qualidade de imagem de uma TV é baseada em 3 critérios fundamentais: a quantidade de píxels, a qualidade dos píxels e a frequência de imagens por segundo.

Número de píxels
A definição de uma imagem representa o número de píxels contidos por coluna e por linha numa tela. Quanto maior o número de píxels, mais detalhada a imagem. A definição mais elevada atualmente é o 8K ou 7680×4320 píxels.

A qualidade dos píxels
A luminância define a intensidade luminosa numa dada superfície. É expressa em candela por metro quadrado (cd/m²). Trata-se da parte preta e branca do sinal, em contraste com a crominância (sinal que exibe as cores). Para lhe dar uma ideia, numa tela LCD, o brilho da tela é entre 450 e 550 cd/m². Abaixo deste valor, a imagem será menos nítida à luz do dia. É por esta razão que algumas marcas desenvolveram a tecnologia de Ultra luminância, que oferece mais 30% de luminosidade pois reduz o brilho nas áreas escuras e intensifica-o nas áreas claras.

O contraste é uma relação entre o nível máximo de branco e o nível máximo de preto exibido pela TV. Por exemplo, uma relação de contraste de 1000: 1 (trata-se do contraste mínimo) significa que o nível máximo de “branco” é 1000 vezes mais brilhante do que o preto mais intenso. Uma proporção mais elevada permite mais nuances entre estas duas medidas. A visualização de um contraste mais poderoso é possível graças à tecnologia Dolby Vision, que permite que os LEDs gerem picos de luz mais potentes.

A taxa de fotogramas por segundo
Para reproduzir a impressão de movimento, a tela exibirá várias imagens sucessivas, que o seu cérebro perceberá como uma animação contínua. A taxa de atualização mede o número de fotogramas por segundo que a televisão é capaz de exibir. Quanto maior for o número, mais suave será a imagem. A sua unidade de medida é Hertz: uma TV de 50 HZ significa que exibirá 50 fotogramas por segundo.