Arapongas

Em polarização histórica, Brasil escolhe entre Bolsonaro e HaddadGaddafi

Compartilhe no WhatsApp

Mais de 147,3 milhões de eleitores vão às urnas neste domingo até as 17 horas, para escolher o novo Presidente da República. Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) disputam o cargo de mandatário do país em uma eleição marcada por bombardeios de fake news (notícias falsas), agressões e muita rivalidade. A disputa presidencial de 2018 já é considerada a mais polarizada da história brasileira.

Em todo Paraná, são 7,9 milhões de eleitores aptos. Ao contrário de outros 13 estados e o Distrito Federal, os paranaenses votarão hoje apenas para presidente. O Estado escolheu Ratinho Júnior (PSD) governador ainda no primeiro turno.

Na região, são quase 328 mil pessoas estão aptas a votar nestas eleições. Com 91.363 eleitores, Apucarana é o maior colégio eleitoral, seguido de Arapongas (77.104), Ivaiporã (24.657) e Jandaia do Sul (15.546). Bolsonaro e Haddad chegam para o segundo turno com trajetórias, propostas e perfis completamente diferentes, que retratam a polarização política nacional. O candidato do PSL tem 63 anos, é casado pela terceira vez e pai de cinco filhos – três da primeira mulher, um da segunda e uma do atual casamento, com Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro. Nasceu em Glicério (SP) em 21 de março de 1955, embora tenha sido registrado em Campinas. Filho dos descendentes de italianos Percy Geraldo Bolsonaro e Olinda Bonturi, cresceu em Eldorado, na parte paulista do Vale do Ribeira. Em 1971, ingressou na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas. De 1979 a 1981 serviu no 9º Grupo de Artilharia de Campanha, em Nioaque (MS) e, na sequência, especializou-se em paraquedismo na Brigada de Infantaria Paraquedista.

Formou-se em Educação Física em 1983, no próprio Exército, e em 1987 frequentou a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. Passou para a reserva em 1988, no posto de capitão. No mesmo ano se elegeu vereador no Rio de Janeiro e, em 1991, assumiu seu primeiro mandado na Câmara dos Deputados, em Brasília. Nunca mais deixou a Casa. No Congresso, suas bandeiras principais foram a redução da maioridade para 16 anos e a liberação do porte de armas. Com forte discurso conservador e antipetista, Bolsonaro rapidamente conseguiu consolidar sua candidatura à Presidência. Já Fernando Haddad, 55 anos, é casado com Ana Estela Haddad, com quem tem um filho e uma filha. Filho do libanês Khalil Haddad e da descendente de libaneses Norma Teresa Goussain, nasceu em São Paulo em 25 de janeiro de 1963. É formado em Direito e Economia pela Universidade de São Paulo (USP), onde também fez seu doutorado. Haddad foi ministro da Educação por quase sete anos – entre 2005 e 2012 – nos mandatos de Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Criou o Fundeb, fundo para o desenvolvimento da educação básica, em substituição ao Fundef, focado no ensino fundamental. Instituiu o Ideb, que serve de baliza para metas de desempenho das escolas. Ele também transformou o Enem numa das principais formas de ingresso nas universidades públicas. Sua candidatura à Presidência ocorreu por indicação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, condenado pela Operação Lava Jato. Inicialmente indicado como vice, Haddad assumiu o posto após a Justiça Eleitoral negar sucessivamente o registro do ex-presidente preso.

Molicenter Sup Ofertas 15/11

Molipark

Solução Informática e Tecnologia

Canal André Silva

Mais vídeos do canal Aqui