Cambira

Cambira chama a atenção da população no combate ao mosquito da dengue

Compartilhe no WhatsApp

Em Cambira a Autarquia de Saúde tem realizado um trabalho fundamental no Combate à Dengue, com campanhas junto ao público nas Unidades de Saúde, imprensa local, empresas, instituições e residências.

Um trabalho constantes dos Agentes de Endemias, que muitas vezes são auxiliados pelos Agentes de Saúde e demais profissionais da Autarquia.

A principal orientação é para que o morador esteja sempre atento a eliminar água parada em recipientes que possam acumular água da chuva, especialmente resíduos em quintais, pratos de vasos e manter com tampas os reservatórios.

SINTOMAS E TRATAMENTO

Os sintomas são febre acompanhada de dor de cabeça, dor articular, dor muscular e dor atrás dos olhos ou mal-estar geral. Esses sinais não podem ser desprezados. O verão, com temperaturas mais altas e o clima chuvoso, propicia o acúmulo de água e o desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, a zika e a Chikungunya. E quem viaja deve redobrar os cuidados para evitar o avanço da doença, tanto no seu imóvel, que ficará desabitado, como na casa eventualmente alugada para a temporada.

Os casos mais graves costumam ocorrer em determinados grupos de risco, composto por idosos, gestantes, lactentes menores (29 dias a 6 meses de vida), imunossuprimidos, pessoas com algum tipo de doença crônica pré-existente, como hipertensão arterial, diabetes mellitus, anemia falciforme, doença renal crônica, entre outras. No entanto, a orientação é que todos busquem atendimento de saúde logo que apresentem os primeiros sintomas. O diagnóstico precoce e o tratamento em tempo oportuno reduzem significativamente as chances de agravamento do caso.

Normalmente, os sinais de alarme ocorrem entre o 3º e 5º dia, esse é o chamado período crítico para dengue. Tratado com hidratação e medicação sintomática corretamente, a maioria dos casos evolui para cura.
PREVENÇÃO

A Autarquia da Saúde também reforça o importante papel que a população tem para minimizar a incidência da dengue. A proliferação do mosquito transmissor aumenta muito no verão e é absolutamente necessário que as pessoas eliminem todo tipo de água parada como vasos de plantas, garrafas, lixo, bebedouros de animais, entre outros onde as larvas do mosquito se criam. Reserve um momento da semana para verificar se onde você mora não há possíveis focos do mosquito Aedes aegypti.

As pessoas que estão programando viagem, orienta-se procurar o setor de vacinas com carteirinha de vacina com antecedência para verificar condição vacinal indicada para cada idade, principalmente a febre amarela.

Além disso, orienta-se o uso do repelente, várias vezes durante o dia conforme orientação de uso informado em cada frasco, pois têm efeito indeterminado e temporário.

DADOS EPIDEMIOLÓGICOS

Considerando o período epidemiológico que iniciou em 01/08/2018 o boletim epidemiológico divulgado em 22 de janeiro pela Secretaria Estadual de Saúde (SESA) informa que os municípios com maior número de casos suspeitos notificados são Londrina (1.367), Foz do Iguaçu (751) e Paranaguá (407).

Os municípios com maior número de casos confirmados são: Uraí (37), Foz do Iguaçu (23) e Paranavaí (17).

Em Cambira até momento são 06 casos notificados, 03 casos descartados e 03 casos aguardando resultado de exames. Em 2018 foram 07 casos suspeitos descartados, em 2017 foram 18 casos suspeitos descartados. Em 2016 foram 52 casos notificados, sendo 05 confirmados e os demais descartados.

AÇÕES DESENVOLVIDAS PELA EQUIPE DE CONTROLE DE ENDEMIAS DE CAMBIRA

– Visita domiciliar e com tratamento com pesquisas casa a casa e também no distrito do 7 de maio.

– Levantamento de índice no município (LIRA): com objetivo de verificar controle e o risco da doença.

– Pesquisa em pontos estratégicos que são locais com maior possibilidade de criadouros do mosquito: borracharias, cemitério, delegacia e outros lugares críticos da cidade.

– Notificação de dengue: a unidade básica de saúde/posto de saúde notifica o caso suspeito a equipe de endemias que realiza o bloqueio em 9 quarteirões ou 300 metros próximos onde reside o indivíduo suspeito de dengue, sendo o domicílio o centro do bloqueio.

– Dia D da dengue: todo dia 9 de cada mês são realizadas ações que mobilizam a população nos bairros com som e entrega de panfletos nas casas, comércio, empresas, com orientação e prevenção sobre a dengue.

– Palestras e entrega de panfletos nas escolas municipais e estaduais, órgãos públicos.

DENÚNCIA DE FOCOS

Se você souber de algum local que não esteja observando as orientações de prevenção contra a dengue, denuncie o caso na unidade básica/posto de saúde mais próximo da sua residência. Combater a dengue é dever de todos!

Embora Cambira não tenha registrado casos confirmados, a secretária de Saúde Suzana afirma que é preciso manter-se em alerta no combate ao mosquito.

Ofertas Molicenter –

Jantar 10 anos Rotary Arapongas

Marmitaria Temperos da Vovó

Solução Informática e Tecnologia

Atom Academia

Zé da Balada