Claudio Natalino Bagnolli

Brasileiros passam mais de 5 horas diárias cuidando da casa e dos filhos

Compartilhe no WhatsApp

As casas inteligentes irão melhorar a nossa qualidade de vida.

Elas já são realidade e podem ser a chave para melhorar a nossa qualidade de vida ao reduzir o tempo necessário para completar tarefas domésticas.  Os Brasileiros passam, em média, mais de 5 horas diárias cuidando da casa e dos filhos, restando-lhes pouco tempo para dedicar aos seus cuidados pessoais, entre os quais comer e dormir.

Dar instruções ao ar condicionado, ligar a televisão ou o forno através do smartphone, escolher o programa preferido usando apenas à voz, deixar a máquina de lavar roupa decidir o programa que mais se adequa à carga ou aceitar as sugestões do refrigerador para a próxima refeição, com base nos ingredientes que tem guardados no seu interior, são apenas algumas das opções disponíveis que podem aliviar a gestão do dia-a-dia.

Estas opções já são uma realidade graças à incorporação de Wi-Fi nos eletrodomésticos e equipamentos de entretenimento e, em alguns casos, de uma tecnologia própria de Inteligência Artificial (IA) que reconhece comandos de voz e permite aos equipamentos conhecer os hábitos dos seus donos e aprender com eles, de forma a aconselhá-los em futuras decisões e na concretização de tarefas.

A ligação dos aparelhos à internet também está disponível nestes equipamentos, permitindo-lhes acesso a toda informação disponível na rede, usando-a no seu desenvolvimento e evolução na assistência aos consumidores. Com a Inteligência Artificial, “viver e aprender” assume um novo significado através das casas inteligentes!

Produtos desenvolvidos na plataforma DeepThinQ (nome da plataforma que permite o “compartilhamento” de tarefas domésticas entre o utilizador e o eletrodoméstico) ‘educam-se’, usando servidores cloud para se tornarem mais inteligentes ao longo do tempo. Este sistema de aprendizagem está no centro do DeepThinQ, permitindo que os produtos com IA reconheçam e entendam não só os seus ambientes externos, mas também os padrões comportamentais dos seus usuários facilitando a sua vida.

Esta tecnologia muda completamente a maneira de interagir com os equipamentos e quem sabe irá reduzir para a metade o número de horas diárias dedicadas às tarefas domésticas.