Borrazópolis

Laudo do IML aponta que bebê morreu de encefalite aguda e não por causa de vacina

bebeiml

Laudo do exame de necropsia realizado no Instituto Médico Legal (IML) de Apucarana aponta que pequena Damaris Gabriely da Silva Gomes, de 2 meses, morreu em decorrência de encefalite aguda (infecção do cérebro de caráter bacteriano ou viral) e não por causa de efeitos colaterais provocados por vacina prevista dentro do cronograma do Ministério da Saúde.

O laudo é assinado pelo médico legista Ângelo Haiashi, que fez uma observação no documento detalhando uma recomendação de procedimento clínico no sentido de que a vacina não deve ser ministrada caso a criança esteja com febre, mas esse detalhe não teria qualquer implicação na morte da criança, que apresentava infecção generalizada no cérebro.

Sintomas estranhos após vacina
A mãe do da bebê, Gabriela Maria da Silva, relatou que na sexta-feira, dia 17 de novembro, foi até uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no Bairro onde estava residindo em Apucarana para aplicação de uma vacina prevista dentro do cronograma do Ministério da Saúde, mas após a bebê receber a dose, percebeu que a filha começou a apresentar sintomas estranhos, entre os quais febre alta e vômito.

A situação foi se agravando e na madrugada de quinta-feira (23) pirou ainda mais. “Eu passei à noite acordada por causa da febre da bebê. Por volta das 5 horas da madrugada, acionei o Samu por que percebi que ela já estava com convulsão, mas quando a equipe do Samu chegou minha filha já estava morta”, disse a mãe.

Os pais e demais familiares da criança ficaram chocados com a situação e buscavam encontrar uma explicação plausível para a morte da bebê. Os pais da pequena Damaris Gabriely haviam se mudado recentemente de Borrazópolis para Apucarana.

Velório e sepultamento em Borrazópolis
Por conta disso, a família decidiu velar o Corpo na Capela Mortuária em Borrazópolis e sepultamento está previsto pata a tarde desta sexta-feira (24), no Cemitério Municipal de Borrazópolis.

Fonte: TNOnline