Notícias Geral

ExpoLondrina expõe raças exóticas de cavalos

Friesian em liberdade

Para quem aprecia animais exóticos, a ExpoLondrina traz de volta duas raças de cavalos que encantam ao público. Este ano, oito animais da raça Bretão e outros dois da raça Friesian estarão desfilando nas pistas de grama do Parque Ney Braga.

Na sexta-feira, durante a abertura oficial da Feira, os animais estarão expostos na Pista Central com atrelagens a carros (espécies de carruagens) e poderão ser testados pelas autoridades presentes no evento. No sábado, 9, por volta das 18 horas, os animais também estarão expostos na Pista Central, onde terão as características divulgadas para todo o público.

Dos oito cavalos trazidos para a Feira, seis são premiados em exposições nacionais da raça. Destaque para a fêmea Jolie, de um ano e meio,  da raça Bretão, eleita a grande campeã da raça em 2015. Todos os animais desta raça estão à disposição para venda.

Já os animais da raça Friesian não estão à venda. Servem apenas para a reprodução, com venda de sêmen e embriões.

A zootecnista Susana Reinhardt Cintra, diretora técnica juíza da ABCC Betrão, explica que a intenção é difundir as raças exóticas de cavalos e propagar a criação desses animais. “A Feira proporciona essa divulgação. Aqui temos a oportunidade de apresentar os animais, que muitas vezes nem são conhecidos do grande público”.

Susana Cintra considera que as raças que começaram a ser divulgadas na ExpoLondrina do ano passado atraíram bastante a atenção dos visitantes. “No ano passado apresentamos cinco raças que puderam ser apreciadas pelo grande público. Foi uma vitrine para que os criadores começassem a se interessar pelas novas raças”, disse.

Ela explica que, normalmente, o processo para adquirir novos animais dura em torno de 1 ano e meio, até que os criadores conheçam as características dos cavalos e decidam iniciar a criação.

Tanto a Bretão quanto a Friesien são consideradas raças exóticas. Além de bonitos, os cavalos são de grande porte e de grande beleza. Servem para a tração em áreas rurais, por isso, o manejo das duas raças é muito parecido com o manejo de cavalos comuns. “O Bretão come mais verde, é mais rústico. Quanto mais soltos forem criados, melhor para o desenvolvimento da raça”.

Bretão

O Bretão tem origem francesa, da região da Bretagne, Noroeste da França. A raça chegou ao Brasil em 1926, por intermédio do Exército Brasileiro. É considerada a raça de tração mais difundida naquele país, Europa e Brasil e foi eleito o preferido dos pequenos e médios agricultores, sendo um substituto eficiente de burros, mulas e de pequenos tratores. Por ser muito dócil, forte, rústico, e de fácil doma, é excelente para puxar carruagens e troles para família toda.

Hoje possui um plantel de 3 mil animais registrados desde 1989 no Serviço de Registro Genealógico da Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Bretão, sediada em Amparo-SP.

O Bretão chega a pesar 1.100 kg e medir 1,70 m de altura na cernelha, a média é de 1,58 m de altura e 850 kg. É utilizado para puxar carruagens e troles em passeios turísticos, em passeios de lazer, em provas de atrelagem esportiva, e como montaria na sela em desfiles e no policiamento. Na lida, puxa toras nos reflorestamentos, na extração de madeira, além de ser usado na aração da terra e no manejo das fazendas com os carroções.

Uma curiosidade é que um Bretão puro consegue puxar um implemento sem rodas de até 1.500 kg, e um veículo com rodas até 4 vezes o seu peso, ou seja, cerca de 3.600 kg.  As pelagens permitidas são a alazã, a castanha e a rosilha e suas variações.

Friesian

A raça Friesian, de origem holandesa, da região da Frízia, é criada em vários países do mundo. Começou a ser importado para o Brasil no ano de 2009 e hoje tem cerca de 100 animais no plantel brasileiro. O serviço de registro genealógico está sendo controlado pela ABCCBH, desde 2013 e as aprovações e registros anteriores foram feitos pelos técnicos da Associação Holandesa- KFPS.

São animais dóceis, e que possuem dupla aptidão: sela e atrelagem. Têm um trote característico, muito apreciado no adestramento. Tem como característica força,  longos pelos nas crinas e patas.  A única pelagem permitida é a negra, e têm o porte entre 1,65m e 1,75 m com peso entre 500 Kg e 700 kg.

Susana Cintra reforça que as raças são fortes, dóceis e muito tranquilas, por isso, são usadas também para o lazer familiar. Os animais puxam até doze pessoas em veículos atrelados. Puxam, sozinhos, o mesmo peso que para outras raças seriam necessários dois ou três cavalos.

Entre os dias 14 e 17 de abril, chegam exemplares da raça Claydesdale, de tração, originária da Escócia, no vale do rio Clydes. A raça também conquistou a América, especialmente os Estados Unidos e Canadá, que já concentram as maiores criações mundiais da raça. O Clydesdale chega a pesar 1.200 quilos, sendo a média 850-950 kg. Podem ultrapassar 1,80 m de altura na cernelha.