Arapongas Geral

Multas de trânsito aumentam 53% em Arapongas

Compartilhe no WhatsApp

O número de multas de trânsito cresceu 53% em Arapongas, segundo balanço divulgado pela Secretaria de Segurança Pública e Trânsito (Sestran). Em 2014, agentes de trânsito lavraram 9.211 autuações contra 14.144 no ano passado. A previsão de arrecadação é de R$ 1,480 milhão em relação apenas ao período de 2015. No entanto, a Sestran ressalta que o valor pode sofrer variação, porque os motoristas têm direito a recorrer.

Deixar de usar o cinto de segurança aparece como a infração mais comum no trânsito da cidade, com 3.097 autuações. Dirigir falando ao celular (2.368), estacionar irregularmente em vaga de carga e descarga (1.028), avançar sinal vermelho (730), fazer conversão à esquerda (1.196), estacionar em vaga de idoso (716) e estacionar em fila dupla (727) são outras infrações recorrentes. (ver infográfico)

O diretor de trânsito do município, José da Paz Neto, afirma que não houve intensificação da fiscalização na cidade. Segundo ele, o número de infrações subiu por desrespeito às leis de trânsito. Paz Neto conta que, em muitos casos, nem a presença dos agentes de trânsito coíbem a má conduta. Durante sinalização de ruas da cidade, ele afirma ter flagrado cinco motoristas falando ao celular, sem o cinto de segurança e estacionando em vaga proibida, tudo em apenas cinco minutos. Os condutores foram autuados.

“São pessoas que não podem alegar ignorância sobre a legislação. Não aumentamos a fiscalização. As pessoas não entendem que as leis devem ser cumpridas. Elas estacionam em vaga de idoso e depois no momento da autuação alegam que era só por alguns minutos. O condutor ainda não incorporou essas regras no seu dia a dia. As pessoas habilitadas não podem alegar que não conhecem as regras básicas, então vejo que o número de penalidades aumentou em função da má conduta dos motoristas”, analisa

Paz acredita que o aumento da frota de veículos de Arapongas, que passou de 73.977 em 2014 para 75 mil em 2015, tampem possa ter influenciando o aumento de multas. No entanto, frisa que o péssimo comportamento dos motoristas é fator preponderante.

TECNOLOGIA

O celular lidera na lista de infrações médias. Na avaliação do diretor, as pessoas precisam aprender a usar a tecnologia a seu favor, sem arriscar as próprias vidas. “O celular hoje é um mal necessário, agiliza muito a vida das pessoas no dia a dia. O motorista não está proibido de usar o celular, desde que esteja com o veículo parado. O código de trânsito diz que tem que andar com as duas mãos ao volante. Portanto, é proibido usar o celular enquanto dirige”, diz.

Estudos da engenharia de trânsito constataram que o uso de aparelhos celulares atrapalha a atenção do motorista. Ler uma mensagem enquanto trafega a 80 quilômetros por hora é o mesmo que atravessar um campo de futebol de olhos fechados, compara o diretor de trânsito. Segundo o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), a multa para quem for flagrado dirigindo falando ao celular, ou com fones de ouvido conectados a ao aparelho, é de R$ 85,13 e 4 pontos na carteira.

Desrespeito ao uso do cinto de segurança
A falta de uso do cinto de segurança pelos motoristas é um problema considerado grave em Arapongas. Agentes de trânsito consideram que muitos condutores agem como se o componente não existisse no veículo. O diretor de trânsito do município, José da Paz Neto, comenta que o motorista não deve pensar que a falta do cinto de segurança acarreta apenas multa, mas, sim, que pode salvar vidas em um acidente grave.
“O cinto é tão importante quanto qualquer outro componente, como o uso dos faróis à noite. É um equipamento que condutores simplesmente não usam. O cinto é uma proposição do código de trânsito para a segurança. Não tem meio termo”, assinala.
Especialistas afirmam que o uso do cinto pode minimizar a gravidade de ferimentos das vítimas de acidentes, até em situações de grande risco. E mesmo com a vida em jogo, pesquisa divulgada no ano passado pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) aponta que metade dos brasileiros não usam o cinto de segurança e que apenas 7% dos passageiros usam o acessório no banco de trás.
Além de perigoso, a infração é grave e o motorista pode ser penalizado em R$ 127,69 e 5 pontos na carteira. “O motorista que usa o cinto pensa preza pela integridade física dele e dos passageiros”, conclui Paz Neto.

Trânsito tumultuado após chuvas
Nas últimas semanas, a fluidez do trânsito do perímetro urbano de Arapongas tem sido prejudicada com o aumento de veículos cortando a cidade. Uma cratera engoliu um trecho da PR-444 e uma nova rota precisou ser traçada para desviar o fluxo de veículos por dentro de Arapongas, sob supervisão da concessionária Viapar. O diretor de trânsito do município, José da Paz Neto, acredita que o aumento do número de veículos cortando a cidade não vai engrossar ainda mais o número de multas. “Isso prejudica a fluidez do trânsito, principalmente no horário de pico. Mas esses veículos apenas passam pela cidade e vão para outros pontos. Então acredito que isso não vai provocar aumento”.
As obras de recuperação do km 2 da rodovia já começaram e devem ser concluídas até o fim de fevereiro.

Fonte: TNOnline

Foto: Sérgio Rodrigo

Autor: Cindy Annielli

Molicenter Sup Ofertas 21-22 e 23/09

Molipark

Solução Informática e Tecnologia