Apucarana

Incidência do Aedes em Apucarana tem queda de 87%

Compartilhe no WhatsApp

O Departamento de Endemias da Autarquia Municipal de Saúde de Apucarana (AMS) divulgou nesta segunda-feira (10) o resultado de novo Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRA), realizado recentemente, com índice de infestação na área urbana de apenas 0,9%. No levantamento anterior o índice era de 7,3%. Na comparação com o novo Lira constatou-se que houve uma queda de 87% na incidência do mosquito.

O resultado foi apresentado ao prefeito Beto Preto, pelo secretário de saúde Roberto Kaneta, acompanhado de Marcelo Viana, que coordena o trabalho na área de endemias. Também participaram da reunião Aline Keler da Rosa (coordenadora administrativa), e as agentes de endemias Maura Aparecida Fernandes de Oliveira, Luzia Bernardino de Faria Mandrini e Roseneide Aparecida Correia da Silva.

O prefeito Beto Preto avaliou positivamente o trabalho realizado no período de inverno, que também teve um pouco de chuva e até muitas semanas com temperatura elevada. “Nossa equipe de endemias recebeu o reforço de mais sete agentes comunitários, e agora é integrada por sessenta profissionais que atuam diretamente na comunidade, observando, vistoriando e orientando as famílias para evitar a infestação do Aedes Aegypt, transmissor da dengue, febre chicungunha e zica vírus”, comentou Beto Preto.

A exemplo de levantamentos realizados anteriormente, a maior incidência do mosquito transmissor da dengue, febre chicungunha e zika vírus continua situada em depósitos de lixo clandestinos, sucatas e entulhos. Também é alta a incidência de larvas em locais de armazenamento de água (floreiras, reservatórios para animais, garrafas); e em pequenos depósitos (copos, vasos, tampas de garrafa).

Ao analisar o boletim, o diretor presidente da AMS, Roberto Kaneta, afirmou que bom índice apresentado foi satisfatório. “Mesmo com a redução de focos é fundamental a participação da população no combate ao inseto, eliminando pontos que possibilitem o acúmulo de água, locais propícios ao desenvolvimento das larvas”, assinalou.

O índice apresentado, ressalta o diretor presidente da AMS, está abaixo do preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de 1% de infestação predial. Kaneta salienta que esta situação confortável não pode permitir um relaxamento quanto às visitas domiciliares, realizadas pelos agentes de endemias e comunitários de saúde.

“O trabalho conjunto do Departamento de Endemias e da Estratégia Saúde da Família é constante e o resultado do LIRA confirma a preocupação de todos apucaranenses no combate contínuo ao Aedes aegypti”, avalia Kaneta, lembrando que a vistoria é feita em apenas cinco minutos em cada quintal.

Molicenter Sup Ofertas 21-22 e 23/09

Molipark

Solução Informática e Tecnologia