Daniele de Oliveira

Precisamos Falar Sobre: Os 13 porquês

os13

Nas últimas semanas os assuntos das redes sociais foram à estreia da série original da Netflix: 13 Reasons Why. Resumidamente e sem spoilers, trata-se de um drama vivenciado por uma jovem que cometeu suicídio por não suportar a dor emocional que vinha sentindo, aliada a falta de apoio referente a uma série de comportamentos hostis voltados a ela. O bullying é inicialmente o tema central da série, mas julgo de tamanha importância analisarmos os comportamentos daqueles que preferem ignorar um pedido de ajuda por não saberem como demonstrar apoio.

Existe um senso comum que não devemos falar sobre o suicídio, mas como ignorar um assunto tão grave como esse? Como ajudar alguém que busca por apoio, mas não consegue verbalizar que já pensou em tirar a própria vida?

Está série chama a atenção exatamente para essas questões, ajudar alguém que tem ideações suicidas nem sempre exige comportamentos extraordinários de nós, às vezes tudo que uma pessoa precisa é ser ouvida, sentir-se amparada e não julgada.

Existem alguns sinais que nos ajudam a perceber quando alguém está precisando de ajuda, mas isso não é uma regra. Atente-se para:

  • Frases de alerta: “Eu preferia estar morto”, “Eu não posso fazer nada”, “Eu não aguento mais”, “Eu sou um peso pros outros” etc.
  • Os 4 Ds: Desesperança, Depressão, Desespero, Desamparo
  • Comportamentos retraídos, dificuldades para relacionar-se com familiares e amigos.
  • Mudança na personalidade, irritabilidade, pessimismo, depressão ou apatia

Além de observar esses e outros sinais, precisamos nos atentar para as ideias que muitas vezes levam ao erro e nos impedem de ajudar, tais como:

  • “Se eu perguntar sobre o suicídio será que posso induzir?”
  • “Ele está falando em suicídio somente para chamar atenção”
  • “Quem quer se matar não avisa”

Entre outros pensamentos, essas ideias não condizem com a realidade, e muitas vezes ignorar a verbalização de alguém é negar ajuda a essa pessoa. Seja receptivo, acolhedor, demonstre respeito pelos sentimentos dos outros, essas atitudes podem salvar vidas.

Considero de grande valia buscar ajuda profissional nesses casos, contudo entendo que muitas vezes a situação de angustia é emergencial, nessas horas no CVV (centro de valorização a vida), existem pessoas dispostas a ouvir você.

Acesse: www.cvv.org.br/ ou disk 141 Mas nunca desista!

Enquanto tem vida, tem jeito!

Psicóloga Daniele de Oliveira

CRP 08/20268

Fone: (43) 9 9986 5094

Apucarana-Pr