Claudio Natalino Bagnolli

Que tal imprimir sua própria comida?

bocusini

Cornucopia1-20100123095034

Veja você, em 2010 o estudante Marcelo Coelho, com a ajuda do colega Amit Zoran, ambos do MIT (Massachusetts Institute of Technology), desenvolveram o invento chamado “Cornucópia” que literalmente “imprime” camadas de ingredientes para você criar, do nada, sua comida. Os controles são tão precisos que você pode montar um pequeno cubo composto de camadas milimétricas de pão, manteiga, geleias e assim por diante.

O funcionamento da “Cornucópia” é engenhoso. Acima da câmera central existem compartimentos que refrigeram os ingredientes. Ao digitar seu pedido numa tela sensível ao toque estes compartimentos são deslocados para a parte inferior, onde “imprimem” a receita. E olha só que demais: o aparelho é ligado à  internet para que médicos possam controlar o tratamento de pacientes em dietas muito rigorosas.

O nome Cornucópia vem da mitologia grega. Originalmente era um chifre oco, repleto de flores e frutas. É considerado o símbolo mitológico da fortuna e abundância, e hoje representa a agricultura e o comércio.

Em 2015 um outro projeto buscava financiamento no Kickstarter para levar a impressão 3D de alimentos a um patamar para chef nenhum botar defeito. A Bocusini é uma máquina que utiliza um software open source para criar verdadeiras obras de arte em forma de comida. Beleza e sabor em uma só máquina, animador, não é?

Hoje, apesar de ainda não terem se popularizado, impressoras que fabricam alimentos não são nenhuma novidade. Já existem modelos que fazem chocolate, pizza e até mesmo pequenas pérolas com sabor de fruta. Mas até o momento esses modelos não haviam conseguido dar uma forma consistente aos alimentos.

É aí­ que entra o grande diferencial da Bocusini: a precisão na hora de dar forma ao alimento. Através de um aplicativo o usuário escolhe o desenho e em poucos minutos a impressora consegue fabricá-lo.

Além da facilidade de uso, a Bocusini permite um variação extensa dos alimentos utilizados nas criações. A matéria prima é vendida separadamente em forma de cápsulas de 45 a 85 gramas. No momento são comercializados apenas os cartuchos de marzipan, chocolate, fudge, pasta e cassis. No futuro serão mais de 30 opções de escolha, entre carnes, frutas e produtos lácteos, como queijos e iogurtes.

Outro atrativo da Bocusini em relação aos concorrentes é que todo o projeto é open source. Do software ás capsulas, tudo pode evoluir de acordo com a colaboração da comunidade. Modelos de exemplos de desenho podem ser baixados direto no site da empresa.

A partir de 1985 euros (cerca de R$ 7.362,00 em conversão direta) já é possível comprar um kit completo da Bocusini, que inclui a impressora 3D com Wi-Fi e dezoito cápsulas. A previsão de envio é imediata. No preço não estão inclusos o frete ou despesas com impostos, mas eles fazem entregas para o Brasil.

E vocês, o que acham desta ideia?