Claudio Natalino Bagnolli

GPS para locais fechados

3209543_gps_navigation_stock

O GPS já deixou de ser um luxo para se transformar num co-piloto sempre presente na indicação do melhor caminho nas grandes cidades ou em viagens para o litoral e serra. Discreto e cheio de recursos os aparelhinhos, no entanto, enfrentam uma dificuldade técnica: espaços fechados.

Seja um GPS automotivo, colado ao pára-brisa ou um celular equipado com o dispositivo, a situação é a mesma. Basta passar por um túnel, garagem do prédio ou qualquer ambiente com um TETO para recebermos a mensagem: “Sem sinal de GPS”. Mas isso deve mudar em breve.

Em 2009 a Nokia fez testes em um shopping na Finlândia com um sistema de orientação próprio para ambientes fechados, utilizando antenas Wi-Fi para fazer a triangulação, ou seja, rebater o sinal entre a parte externa e o interior dos ambientes.

Funciona mais ou menos assim: imagine você andando pelos corredores e sendo avisado por seu celular equipado com GPS sobre promoções, descontos, novas lojas e até o lugar em que seu carro está no estacionamento! A mágica acontece graças à triangulação do sinal e o cruzamento da posição do usuário com conteúdo criado pela empresa e parceiros.

Já a companhia francesa Movea venceu a limitação do sinal dos satélites e desenvolveu um aplicativo GPS que funciona em ambientes fechados. Os testes foram aplicados em telefones com Android.
O serviço é ideal para quem vive se perdendo em shoppings, por exemplo. A partir de um mapa previamente desenhado, a empresa entende os movimentos do usuário e identifica sua localização.
Para usar o app, é preciso primeiramente informar a altura. Esta informação permite o cálculo do tamanho dos passos com a ajuda de um acelerômetro. Depois, cabe ao magnetrômetro, guiado por uma bússola, precisar a velocidade da caminhada e saber para qual lado a pessoa se move.

O sistema é mais complexo do que um mapeamento tradicional. Para funcionar corretamente, o “Indoor Pedestrian Navigation” depende de informações precisas enviadas por giroscópio, sensor de pressão, Wi-Fi e GPS.
A demonstração do serviço aconteceu em duas estações, uma na França e outra na Coreia do Sul. Ainda em testes, não se sabe quando o aplicativo estará disponível aos consumidores. Um dos desafios da empresa para emplacar o projeto será mapear ambientes que não tiverem plantas.

A idéia é boa e vamos ficar de olho nela. Até lá, dê uma olhada no vídeo para entender como funciona.