Arapongas

Setor moveleiro deve acompanhar retomada gradual da economia em 2017, diz Abimóvel

IMG-20170313-WA0069

O ano de 2017 deve ser de retomada gradual da economia e de crescimento efetivo, porém moderado, principalmente a partir do segundo semestre. A opinião é do presidente da Abimóvel – Associação Brasileira do Mobiliário, Daniel Lutz, que esteve presente no pimeiro dia de abertura da Movelpar – Feira de Móveis do Paraná, que acontece até quinta-feira, dia 16, no Expoara, em Arapongas/PR. Segundo ele, o posicionamento da indústria tem sido de cautela devido as dificuldades que o segmento enfrentou nos últimos anos, mas os indicadores do setor permitem projetar a retomada do crescimento.

-Em 2016/2015 tivemos um decréscimo da produção em cerca de -7,7%, mas para o período 2017/2016 a previsão é de 2,2% de crescimento no país. Se observarmos a exportação devemos crescer neste ano aproximadamente 5,0% no Brasil; o consumo aparente foi de -8,4% em 2015/2016 e está estimado em 1,6% em 2017/2016, o que significa produzir 427.748 milhões de peças-, destacou

De acordo com Lutz, os efeitos de um ano com desaceleração nos negócios e decréscimo produtivo impactaram todos os setores produtivos e, em especial, todos os elos da cadeia moveleira. -O setor moveleiro passou por um processo de reposicionamento em que as indústrias procuraram um equilíbrio diante de um mercado interno de retração, forçando as empresas a buscar alternativas na redução de custos com maior eficiência, tanto na gestão como em processos. Tudo isso sem abrir mão de fabricar produtos com qualidade e valor agregado-, afirmou.

Contudo, a entidade avalia que o ano de 2017 será ainda difícil. -Diante de um cenário de incertezas e projeções de crescimento para o segundo semestre, o posicionamento da indústria tem sido de cautela. Por isso, independente do contexto externo, para mudarmos a atual realidade do setor é preciso que as empresas foquem cada vez mais nos seus negócios e continuem investindo em inovação e diferencias para os produtos, agregando valor aos itens que oferecem ao mercado-, salientou.

Sobre as exportações, o presidente da Abimóvel diz que continuará sendo uma estratégia para as empresas do setor. -Há um cenário positivo e ao mesmo tempo desafiador para as empresas que já estão na exportação desde que o dólar se recupere e permaneça no patamar de R$ 3,60. O mercado externo exige uma equipe de exportação bem estruturada, investimentos permanentes e escolhas de nichos de mercado de acordo com os produtos e a vocação das empresas-, disse Lutz.

A Movelpar 2017, organizada pelo Expoara, com visitação das 13 às 20 horas, deverá receber um fluxo acima de 40 mil pessoas nos quatro dias de evento. O Feira conta com 168 expositores de várias regiões do país que apostam na versatilidade do mobiliário, no design e na qualidade para impactar as tendências de 2017. A comercialização prevista para os negócios gerados no evento e no pós-evento é de R$ 600 milhões.

De terça (14) a quinta (16), das 8 às 13 horas, estão programadas 848 rodadas de negócios no Expoara entre empresários do setor moveleiro e 17 importadores vindos de 10 países convidados pelo Projeto Comprador Internacional, organizado pelo Sima (Sindicato das Indústrias de Móveis de Arapongas) e Abimóvel (Associação Brasileira do Mobiliário), e realizado na Movelpar.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Solução Informática