Arapongas Prof. Cláudio Silva

“Quem não sabe onde quer chegar, não chegará a lugar algum” – crônica do Prof. Me Cláudio Silva

caminhando

“Se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve” ( Lewis Carrol)

Fui tentado a parodiar a máxima acima atribuída a Carrol, após ler que estudiosos afirmam que é praticamente impossível realizarmos sonhos que não tenham sido literalmente colocados no papel. À primeira vista me pareceu uma afirmação radical e um tanto quanto exagerada, porque, pensei, se for assim poucos conseguirão efetivar o que almejam. E é lógico que logo me remeto aos meus sonhos, alguns bem modestos e outros mais complexos que irão demandar bem mais tempo, recursos e esforços. Conseguirei realizá-los?

Todos nós conhecemos pessoas que infelizmente partiram sem concretizar as suas principais aspirações. Tiveram sonhos maravilhosos que tornariam as suas vidas fascinantes, mas se foram sem realizar boa parte deles. Muitos, inclusive, jogaram a toalha bem cedo desistindo de lutar pelos mesmos. Algo muito frustrante, se considerarmos que só temos uma única oportunidade de fazer essa travessia que se chama vida.

Estudiosos do comportamento humano recomendam uma mudança de atitude, assumindo uma postura de transformar as nossas ações no que definem como trabalho inteligente. O que para eles é aquele que remete a resultados preestabelecidos. De acordo com essa forma de pensar, muitos trabalham duro ao longo da vida, mas a sua ação não é inteligente, porque no máximo vão assegurar a subsistência e pouca coisa mais além disso. O trabalho inteligente, por outro lado, envolve, segundo eles, basicamente três aspectos fundamentais: objetivos, passos e tarefas. A observância desses requisitos tem proporcionado conquistas buscadas por muitos, como entrar em forma, adquirir a casa própria, um carro melhor, aprender uma língua , publicar um livro, fazer a viagem dos sonhos, ser dono do próprio negócio, estabilidade financeira e outras tantas. Igualmente, conquistas coletivas no mundo dos esportes, das artes, da ação social, do empreendedorismo.

Recomendam que primeiramente deveremos transformar os sonhos em objetivos com prazos fixados, que a metodologia coloca como metas. Depois, estabelecer passos ou etapas a serem vencidas em períodos ou datas definidas previamente. Isso exigirá o cumprimento de tarefas que deverão ser executadas de forma disciplinada, algumas quase que diariamente. Essa ação sincronizada, para atingir os seus fins, vai requerer um senso de monitoramento, autocobrança, dedicação, disposição para sacrifícios e muita superação.

Acompanho com atenção o esforço de alguns jovens conhecidos meus que estudam para prestar concursos. Uns apenas estudam até sem saber o que irão fazer. Outros, por sua vez, definiram uma meta a conquistar, e para tanto, pesquisaram e foram buscar cursos, materiais com conteúdos adequados ao que pretendem. Estes estabeleceram um período de tempo para este trabalho, que envolve meses e até anos, com uma meta diária de estudos e horários rígidos. Tais pessoas, cobram-se ao seu cumprimento, numa rotina que envolve leitura, assistir videoconferências, fazer apontamentos, resumos e resoluções de exercícios, harmonizada com tempos de descanso e lazer. Acreditamos que estes últimos estejam num caminho bem mais coerente com a definição de ação “inteligente”.

Esta é uma época propícia para uma retomada de propósitos. A cada novo ano que se inicia se renovam em nós as esperanças de que no próximo dezembro possamos contabilizar muitas e grandes conquistas. Para que isto se torne possível, quem sabe poderia ser útil neste momento começar com um balanço para identificarmos aqueles sonhos que porventura estejam sendo protelados ano após ano. Inclusive os que praticamente foram abandonados por nós. Quem sabe boa parte deles sejam perfeitamente factíveis.

Assim, muita coisa que por ora é apenas sonho poderá no futuro se materializar em algo concreto que irá nos trazer grande satisfação e tornar a vida uma experiência bem mais fascinante.
Pense nisso.

*Cláudio Silva é mestre em Educação, professor e conferencista, ex-presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação-UNDIME/PR,ex-Secretário de Educação de Apucarana-Pr. Diretor da Escola Nossa Senhora da Alegria.