Arapongas

Alta de preços faz etanol deixar de ser vantajoso

tn_a6a43b5923_etanol-preco-sergio-14jpg

O etanol já não é mais o combustível mais vantajoso para o motor dos veículos flex. Com a última alta no preço do combustível, quem passa a ter vantagem é a gasolina. Além disso, o consumidor precisa ficar atento à variação de preços. Em Apucarana e em Arapongas, tanto o etanol quanto a gasolina podem apresentar preços com diferença de até R$ 0,20 entre postos.
Os valores dos combustíveis nas duas cidades giram praticamente em torno dos mesmos valores. O etanol é encontrado na maioria dos postos custando entre R$ 2,79 e R$ 2,99. Já a gasolina comum é encontrada custando de R$ 3,69 a R$ 3,89. A variação de R$ 0,20 nos preços faz com que o motorista precise rodar mais para encontrar o estabelecimento mais vantajoso.

“Esses preços estão assustando os consumidores. Está ficando difícil demais para nós. O jeito é pesquisar para saber onde os preços são mais baratos, porque senão a conta fica ainda mais cara”, afirma Hélio da Costa Sobrinho, açougueiro.

“O etanol está muito caro. Acho que deveria haver uma intervenção do governo para baixar o preço, algum subsídio, não sei. Infelizmente, o consumidor é que sempre acaba prejudicado nessa história”, reclama o vendedor Luiz Roberto Partika.

Para se ter uma ideia, encher o tanque de um carro popular, de 55 litros, pode ficar até R$ 11 mais caro, tanto com etanol quanto com gasolina, dependendo do posto escolhido.

A última grande alta dos combustíveis foi em janeiro. De acordo com gerentes de postos de combustíveis, o principal causador desse aumento foi o aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pelos governos estaduais. O preço médio subiu R$ 0,10.

Com isso, o etanol, que já vinha em alta, ficou na desvantagem. A conta é simples: divida o valor do litro do etanol pelo da gasolina. Se o resultado for menor que 0,7, abasteça com etanol. Se for maior, escolha a gasolina.

Apesar de mais vantajosa, a gasolina continua preterida nos postos de combustíveis. “O consumidor que possui carro flex ainda está optando pelo etanol. Acredito que o costume ainda mantém o consumidor abastecendo com etanol. Os hábitos demoram a mudar”, relata André Eduardo Sorpile, gerente de um posto de combustíveis de Apucarana.
TN – Renan Vallim